Assista ao trailer do filme

• Watch the movie trailer in English • Versão inclusiva (com legendas em português)

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

O começo de tudo o que está por vir

herbal viagra

list of reputable canadian pharmacies

discount pharmacies

http://viagra100mgexpress.accountant pharmacy express

canadian pharmacy

http://viagravscialispillsblab.accountant sale

nitric oxide taken with viagra

Comentários de “O começo de tudo o que está por vir”

  1. Robson Neiva disse:

    Enfim alguém teve coragem e iniciativa de chacoalhar os zumbis dessa nação.
    Curiosíssimo pelo lançamento.
    Parabéns!

  2. Foi uma grande e ótima experiência filmar com vc Piotto e equipe…
    Logo veremos nas telas grandes. Ab

  3. Boa tarde, Piotto! Você certamente não se lembra de mim, mas em 2004, na Universidade Metodista, você fez parte da banca que analisou o meu (e dos outros 5 amigos) TCC, o programa de Radio “Corpo em Movimento”.
    Lembro-me de termos tido uma impressão muito boa a seu respeito e hoje, quando vi o retweet de Andre Trigueiro, quis conferir o video. O trailer está excelente: a edição, o “peso” dos entrevistados e, acima de tudo, o tema.
    Tenho uma “mania” de fazer como o Físico Marcelo Gleiser, que eu lia na Folha desde mais nova, e sempre comparar o micro com o macro.
    Sendo assim, para mim, o Brasil é como um filho: amamos incondicionalmente, não importa seu comportamento. Porque, reforçado, inclusive, pelos depoimentos de seu video, há algo de “estranho” em nós: a junção de ecologia e economia, como diz Marina Silva, as convivências variadas e o grau de tolerância não habitual, como reflete Fernando Henrique Cardoso, além do questionamento quanto à origem do nosso poder econômico.
    Claro, existem todas as outras questões (rios poluídos, educação, acharmos comum andar em carros blindados etc.)e elas devem, sim, ser consideradas. Não me refiro a nos alienarmos no excesso de carnaval e futebol. Apenas uma nova dosagem dos valores…
    Eu concluo assim: tenho muito orgulho de ser brasileira! As coisas não nascem prontas. A grama do vizinho é sempre mais verde… o que vemos funcionando hoje em outros países, certamente não caiu dos céus. Veio de lutas das gerações antepassadas.
    Cabe a nós, ainda incomodados por estas questões justas e pertinentes, oferecer ao país o que nos compete, de acordo com a realidade de cada um.
    Negar esta “alma” do Brasil, tão tolerante, resistente, acolhedora e alegre seria similar a escolhermos um pretendente afetivo (desculpe a comparação, mas esta área é meu ponto forte) única e exclusivamente pelo carro que tem, pela educação técnica que recebeu ou pela aparência física, sem olhar sua capacidade de nos fazer sorrir, de nos trazer uma felicidade discreta e involuntária, intrínseca à sua presença – o que muitas vezes ocorre com o amigo desbocado, que estava o tempo todo ao lado, o namorado mais desorganizado, mas de quem realmente sentimos saudades ou o “ficante” menos rico, todavia, sincero.
    Se soubermos aproveitar o “conteúdo” de nosso Brasil e olhar com cuidado para todas as potencialidades, ampliaremos nossa consciência para a importância do trabalho e da cidadania de forma mais massiva e teremos real estímulo para dar um “update” na forma!
    Desculpe o tamanho do comentário, mas eu gostaria de expressar minha opinião otimista, sem deixar de ser realista – portanto, uma positividade possível, não dos sonhadores alienados!
    Abraço,
    Camila Pigato

    • admin disse:

      Cara Camila
      Lendo sua mensagem, a forma como a contextualiza, a pontua, se expressa e vai além, sou eu o privilegiado de ter estado na banca de avaliação do seu TCC. Para quem já está no mercado há alguns anos, e no meu caso são mais de 20, ver uma jovem jornalista tratando a língua portuguesa com consideração e apreço é alentador. E, igualmente, lidando com o pensar de forma responsável, apaixonada, o que só faz melhorar, mas ancorada em realidade e realismos, santo Deus…que maravilha! Sinto-me lisonjeado em receber seu comentário que de longo só tem a competência com que o faz. E isso é magnifíco.
      No mais, sobre o filme, acredite: o trailer conseguiu ser apenas um instigador, um aperitivo do que o longa-metragem será. E os entrevistados, como lhes é habitual, foram de uma coragem e de uma honestidade intelectual invejáveis ao tratar do orgulho de ser brasileiro de forma a provocar em todos nós um pensar verdadeiro. Sou um diretor privilegiado de tê-los no filme. É um documentário denso, crítico, esperançoso, realista no que somos bons, realista no que devemos, verdadeiro. Não há mais tempo a esperar, a perder. A sociedade brasileira precisa ser refundada em valores coletivistas e humanistas. O filme, me permita a paixão por ele, quer apontar o caminho para isso.
      Em março, a estreia.
      Gratíssimo
      Adalberto Piotto

  4. Chris Delboni disse:

    Parabéns pela iniciativa 🙂

  5. Cesar Montanhani disse:

    Dal, parabéns pelo trabalho, pelo pouco que vi no trailer já deu para ter uma ideia do que vem por aí. Entrevistados sérios, formadores de opinião e que podemos dar crédito… ansioso pelo lançamento. Forte abraço.

  6. Piotto, tenho que dizer que me emocionei já com o trailer mas o título fala pela boca do que o coração tá cheio. E alimenta das raízes pras raízes pra nós que moramos fora do Brasil e plantamos um pouco dele aonde quer que formos. Parabéns pelo trabalho que parece ser muito abrangente e com uma perspectiva enriquecedora pra quem o assistir. Será um prazer conhecê-lo na Flórida se vc estiver presente no Focus Brazil deste ano – e já adianto que a ABRACE, organização que trabalha promovendo educação e cultura brasileiras nos EUA, gostaria muito de receber o documentário para poder compartilhar com tantas
    famílias brasileiras – bilíngues ou multilíngues – da região metropolitana de Washington, DC. Desde já obrigada pela coragem e iniciativa de doação na ‘contrapartida social’. Abraços, Ana Lúcia Lico

    • Orgulho Brasileiro disse:

      Ana Lúcia, primeiramente obrigado pela gentileza do seu comentário. E, sim, será um prazer pode estender essa contrapartida à ABRACE. Conte comigo.

  7. Kesi Adria disse:

    Querido amigo, esta iniciativa vem reforçar minha admiração e respeito pela sua conduta, fazendo do jornalismo realmente um instrumento social. Saudade de nossas longas conversas de tudo um pouco. Estou na torcida de que este lançamento seja inesquecível. Com certeza, fará parte do acervo nacional com uma finalidade impar. Estou aplaudindo de pé desde já. Abraços americanenses.

    • Orgulho Brasileiro disse:

      Kesi, querida!!! Obrigado. Está na fase final e aviso sobre o lançamento. E como trabalhei em Americana, teria imenso prazer em levar o filme até aí. Vamos nos manter em contato! Cuide-se!

  8. lair braga disse:

    Prezado Adalberto Piotto tenho orgulho de ser seu amigo parabéns pelo seu trabalho.Tenho saudades dos tempos em que trabalhavamos na radio educadora e quando moravamos em Rio das Pedras.Voce cresceu e voou alto.Que Deus te proteja sempre.

  9. Katia Fornel Hirai disse:

    Adalberto você não imagina o quanto me identifiquei com esse trabalho. Imagino que milhões de brasileiros carregam essa questão, essa busca, essa afirmação por esse sentimento tão antagônico. Temos orgulho do nosso povo acolhedor, trabalhador, das nossas belezas naturais, da nossa capacidade de adaptação, da grandiosidade do nosso país, da nossa arte. Nos orgulhamos quando um brasileiro se destaca internacionalmente em qualquer área que seja. Porém, é tão decepcionante saber que a escola pública é um fracasso (e particulares também), que não há médicos, vagas nos hospitais e postos de saúde. Que mesmo nas regiões mais ricas do país somente quem pode pagar é que tem acesso a saúde e educação de qualidade. às vezes queremos deixar o carro em casa e caminhar um pouco, mas é perigoso. Que aqui o quase impossível acontece de forma surpreendente – um bebê de 1 ano e 2 meses, que foi rejeitado pela mãe na maternidade, precisa de um transplante de fígado, encontra uma mãe acolhedora que coincidentemente pode doar uma parte do seu fígado ao bebê…e aí deveria acontecer o possível…mas, não há médicos para fazer o transplante…Tanta generosidade, tanto calor humano e tanto descaso do poder público. O trailer do seu trabalho tem isso…E nossos políticos sempre trabalhando em causa própria, aumento de salários, benefícios, verbas para gabinetes…Estou ansiosa para assistir, conversar com meu filho que é vestibulando e com os professores de redação dele.

    • Orgulho Brasileiro disse:

      Katia
      Sua análise é por demais conectada com o espírito do filme. Foi sob esse sentimento que concebi a ideia do argumento original, que fiz o roteiro, que me preparei e escolhi os entrevistados. Era preciso gente que se dispusesse a falar abertamente sobre o assunto. Coragem era uma qualidade imprescindível. O que consegui no filme é algo fantástico. Um conjunto de brasileiros sob sua natural honestidade intelectual que vai muito além do que se discutiu e da forma que se discutiu o Brasil e os brasileiros até agora.
      Espero, e estou nesta busca, poder levar o filme ao máximo deste país. Por isso, a contrapartida da cessão gratuita das três mil cópias, algo inédito, ousado em crença de distribuição de conhecimento que, creia-me, é pouco percebida.
      Mas não se trata de messianismo meu. Não! Não mesmo! Fiz isso movido por minha crença sócio-política. A discussão precisa acontecer. O meu filme foi concebido para provocar isso.
      Espero consigamos.
      Gratíssimo pela sua mensagem.
      Bem-vinda sempre!

  10. Wilson disse:

    Olá

    Gostaria de saber como se daráadistribuição do DVD para escolas ou instituições.

    Obrigado

    • Orgulho Brasileiro disse:

      Caro Wilson, a distribuição deve acontecer no segundo semestre deste ano, provavelmente.
      Estou estabelecendo os critérios porque preciso que o filme seja realmente visto e aproveitado pelas escolas. Elas o receberão sem custos de minha parte numa concessão em tamanho e importância inéditas, mas há a contrapartida dessas instituições que receberem as cópias de exibir o filme. É importante criar proteção contra o desperdício tão comum neste país.
      Um abraço e aqui pelo site vou manter todos informados.
      Um abraço
      Piotto

----

Comente

Por favor, responda essa operação matemática para verificarmos se você não é um robô. (obrigatório)